domingo, 9 de setembro de 2007

Curiosidades (2)

Enquanto Puccini se embrenhava na composição da “Manon Lescaut”, Leoncavallo escrevia “Os Palhaços”.
Por se fazer sentir um calor insuportável em Milão, Leoncavallo alugou uma casa no Tirol italiano, e convenceu Puccini a fazer o mesmo, oferecendo-se, inclusivamente, para lhe arranjar uma casa.
Assim aconteceu. Dois grandes amigos.





Até que, passados uns dias, Leoncavallo confidenciou a Puccini que estava a pensar adaptar, para uma nova ópera, uma velha novela sobre a vida dos artistas da margem esquerda do Sena. Era grande a sua expectativa.


Puccini escutou, e gostou tanto da ideia…que decidiu, sem nada dizer a ninguém, levá-la à prática...
Um ano antes de Leoncavallo terminar o seu trabalho, Puccini apresentou “La Bohème”!

É caso para dizer…que rico amigo!

5 comentários:

teresamaremar disse...

Fiquei curiosa e fui cuscar por aí, para saber qual teria tido, no momento, mais sucesso, qual o público então mais apreciara, e encontrei isto...

La partition de Leoncavallo connut un début triomphal. Son vérisme, ses effets théâtraux, son art de l'ensemble, en opposition au lyrisme intimiste de Puccini, plurent au public et à la critique.
Soigneusement orchestré par les éditeurs des deux musiciens, la campagne de conquête du public sembla de prime abord favorable à Leoncavallo. Mais les limites de son inspiration, et les comparaisons avec les qualités de son collègue éloignèrent peu à peu l'œuvre des scènes. Irrémédiablement.


Que pensa disto?

jose quintela soares disse...

Olá Teresamaremar

Difícil desafio me lança...

A diferença entre as duas "La Bohème" nota-se principalmente no último acto, que pessoalmente acho francamente superior em Puccini, e no facto de a "Mimi" de Leoncavallo ser bem menos "inocente", digamos assim, que a outra.

É evidente que o talento de ambos os compositores era diferente. Bastará pensar que Leoncavallo conseguiu colocar na posteridade apenas uma ópera (Os Palhaços), enquanto Puccini...para além de "La Bohème", é autor de "Madame Butterfly","Manon Lescaut","Il Trittico", e "Turandot", para não falar de outras.
Acredito portanto que "les limites de son inspiration, et les comparaisons avec les qualités de son collègue éloignèrent peu à peu l'œuvre des scènes. Irrémédiablement."

Esta a minha opinião.

Obrigado pelo seu comentário.

teresamaremar disse...

Não pretendia ser desafio, menos ainda difícil :) apenas queria entender melhor pois que, no meu muito humilde conhecimento, me surpreenderam os parágrafos que reescrevi, dada a maior notoriedade de Puccini.

Grata pela resposta.

Rui Luís Lima disse...

olá josé quintela soares!
não conhecíamos esta história/competição entre Puccini e Leoncavallo.
abraço cinéfilo

Anónimo disse...

E Puccini não se limitou a esta ópera. Quando fez a Manon Lescaut, a Manon de Massenet ainda andava a tentar impor-se, mas aí teve azar, porque a ópera francesa é mais ouvida do que a italiana. Quanto à Butterfly também há qualquer, mas agora não me lembro bem. Parece que o carácter de Puccini estava a milhas da integridade de Verdi e da grande bondade de Donizetti.
Raul

Locations of visitors to this page