sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Placido Domingo

A voz de Pavarotti é única. Ímpar.
Mas…há quem defenda que Placido Domingo (nasceu em 1941) é “o” tenor completo da sua geração, pois reúne todos os atributos necessários: voz, representação, presença.
E mesmo quando ambos estavam no apogeu, muitos preferiam Domingo.
Na verdade, o largo “leque” de óperas que já cantou, e que chega a Wagner, colocam-no entre os maiores tenores de todos os tempos. Indiscutível.
Estreou-se como barítono (Pascual em “Marina”) e como tal vai terminar a sua carreira em 2009, conforme já anunciou. Como tenor, aparece pela primeira vez em 1959 (Alfredo em “La Traviata”). E desde aí até hoje, o sucesso não parou.
Sabiam, por exemplo, que é seu o record de aberturas de época no MET? Aconteceu durante 21 (!) anos, superando Caruso.
É difícil para qualquer tenor celebrizar-se em papéis de ópera italiana e francesa, e brilhar em Bayreuth. Mas Placido Domingo conseguiu-o.
Veremos se a carreira de Maestro será tão bem sucedida.
Tenho sérias dúvidas, mas pelo menos, continuaremos a ver Domingo ligado à paixão da sua vida.


2 comentários:

Anónimo disse...

E Cantores Portugueses? Gostaria de ver mais aqui no seu Blog. Que tal uma visão sobre o que foi a Companhia Portuguesa de Ópera do Teatro da Trindade e o que seria se ainda hoje existisse? Formou Cantores e Artistas de excepção como a soprano Elsa Saque (que acaba de lançar 3 CDS de Música Portuguesa este ano e que é detentora de uma carreira com mais de 40 anos), Fernando Serafim, Ana Lagoa,etc... Aguarda-se com expectativa.

Paula e Rui Lima disse...

Boa tarde,
Este é para nós o maior entre os maiores!!
Sendo o "Nessun Dorma" uma das árias que me comove, se passar no "Cantinho do Ponto Cruz" tem lá Placido no seu melhor!!!
Obrigada por divulgar esta arte maior!
Um abraço
Paula e Rui Lima

Locations of visitors to this page