terça-feira, 23 de outubro de 2007

Em poucos meses...

Sabem como nasceu o Teatro São Carlos?
A Lisboa reconstruída pelo Marquês de Pombal não possuía teatro próprio para Ópera, já que os então existentes teatros do Salitre, do Bairro Alto e da Rua dos Condes não tinham condições para isso.
Assim, um grupo de negociantes e capitalistas (já vimos anteriormente porquê) tomou a iniciativa de construir um teatro novo, para Ópera, que fosse semelhante ao San Carlo de Nápoles.
Incumbiram o arquitecto José da Costa e Silva do projecto, e influenciaram decididamente o poder político, representado por Pina Manique. De tal maneira, que este entendeu que seriam os melhores operários que deveriam construir o Teatro e rapidamente. E assim foi. Para espanto de todos, inclusivamente para nós, a construção durou meses, sim, meses. (Hoje em dia, a reparação de um qualquer túnel…demora anos….).
O custo traduziu-se em 165.845$196 reis, o que era uma fortuna, à época.
Foi inaugurado a 30 de Julho de 1793, com a ópera “La Ballarina Amante” de Cimarosa.

Se hoje Lisboa tem o São Carlos, deve-o principalmente ao grupo que tomou a iniciativa da sua construção.
Anselmo José da Cruz Sobral, Jacinto Fernandes Bandeira, João Pereira Caldas, António Francisco Machado, Joaquim Pedro Quintela e António José Ferreira Sola.
Foram eles.

6 comentários:

isabel victor disse...

Gostei de saber ... e de rever esta "Opera per tutti". Tenho bilhetes para a temporada ...

Vou acompanhando o cartaz :))

Abraço

Pedrita disse...

nós temos alguns teatro assim no brasil também. em manaus, os barões da borracha construíram o teatro amazonas. eles queriam transformar manaus em um pólo como as grandes cidades européias. o teatro é belíssimo. beijos, pedrita

MCA disse...

E o Teatro da Ribeira, ou Ópera do Tejo, que tinha acabado de ser inaugurado em 1755, foi arrasado pelo terramoto e pelo "tsunami" que se lhe seguiu...

José Norton disse...

A iniciativa foi do Pina Manique que conseguiu depois a colaboração daqueles grandes homens de negócios

ANTONIO BRAAMCAMP SOBRAL disse...

Anselmo da Cruz Sobral foi mandado pelos irmãos para Génova estudar comércio, onde veio a casar com uma ilustre senhora chamada Madalena Crocco (da família dos Ferrari)
Esta senhora veio viver para Portugal acompanhada de um cozinheiro italiano que introduziu as pizas, as massas e toda a gastronomia italiana em Lisboa e nas festas requintadas da nobreza de então.
Foi através deste casal que se trouxeram cantores de ópera italianos afamados que cantaram no teatro da Ribeira que veio a ser destruido pelo terramoto de 1755.
Este casal era também muito amigo dos pais do conde de Farrobo que vieram a passar este gosto pela ópera aos filhos e que vieram a ser importantes na decisão de construção do teatro de S. Carlos.
Foi o Anselmo da Cruz Sobral aquele que mais contribuiu (com uma distância grande dos outros) para o capital necessário para a construção do teatro de S. Carlos.
Estou perfeitamente convencido que se não fosse o Anselmo da Cruz Sobral o Teatro de S. Carlos não tinha sido construido.

ANTÓNIO BRAAMCAMP SOBRAL

ANTONIO BRAAMCAMP SOBRAL disse...

Anselmo da Cruz Sobral foi enviado pelos irmãos para Génova estudar comércio e onde veio a casar com um senhora de nome D. Madalena Croco (Ilustre Italiana da família Ferrari). Esta senhora veio para Portugal na condição de trazer um cozinheiro que veio a ter imenso sucesso na introdução das pizzas massas e toda a gastronomia italiana nas festas da nobreza de então.
Foi através deste casal que se trouxeram ilustres cantores de opera que cantaram no teatro que derrocou no terramoto de 1755, junto à zona ribeirinha.
O gosto pela Ópera cultivou-se na época também pela qualidade dos cantores de ópera que vieram a Portugal nessa altura pela mão deste casal.
Este casal era muito amigo dos pais do conde de farrobo e que passaram este gosto pela ópera aos filhos que vieram a ser importantes na decisão da construção do Teatro de S. Carlos.

ANTÓNIO BRAAMCAMP SOBRAL

Locations of visitors to this page