sábado, 30 de janeiro de 2010

Curiosidades (8)


As récitas de “Turandot” no MET, com Birgit Nilsson e Franco Corelli, ficaram célebres, e não apenas pelas qualidades destes dois cantores de excepção.
No segundo acto, as notas “altas” de tenor e soprano sempre fizeram as delícias das plateias, nomeadamente a “C” no final de “In questa reggia”, em que ambos atingem sons assombrosos.
Pois bem, Nilsson e Corelli faziam questão de prolongar quanto possível esta nota, e conseguiam-no.
Mas uma noite, Nilsson prolongou-a ao ponto de Corelli não a conseguir acompanhar.
O próprio maestro achou que o soprano se excedera, e em tom mordaz, aconselhou Corelli a pregar-lhe uma partida: no dueto de amor, em vez de a beijar, morder-lhe uma orelha. O tenor achou graça, mas não ousou tal. Em vez disso, cantou “Nessun Dorma” irrepreensivelmente, e quando Turandot cantou “La mia gloria è finita”, seria esperado Calaf responder com “No! Essa incomincia”. Mas Corelli, como vingança, cantou “Sì! Essa finisce!”
O público percebeu, Nilsson obviamente também. E sorriu de seguida.
Rezam as crónicas que os aplausos foram delirantes.

2 comentários:

geocrusoe disse...

Claro que a segunda partida só o público muito conhecedor da obra conseguiria aperceber-se da gracinha... eu, ao ler as legendas ou ao ouvir apenas, dificilmente descobriria a troca do verso.

blogger disse...

provavelmente eu também nem daria conta. mas é uma história muito engraçada, sem dúvida.

Locations of visitors to this page