segunda-feira, 18 de junho de 2007

Montserrat Caballé


A Ópera “deve” muito a Espanha.
Nela nasceram grandes figuras da cena lírica, muitas outras que não sendo geniais têm contribuído, ao longo dos tempos, para a glória desta Arte.
Uma das maiores é, sem dúvida, Montserrat Caballé.
Catalã (nasceu em Barcelona em 1933), começou a sua carreira na Suiça, no final dos anos 50, integrando em Basileia a companhia de Ópera local, onde curiosamente interpretou Mozart e Strauss, e não os grandes compositores italianos.
Mas é com Donizetti que se torna estrela mundial, em 1965, quando em Londres interpretou a “Lucrezia Borgia”. 25 minutos de aplausos e chamadas ao palco!
Desse espectáculo, ficou a célebre ( e na minha opinião, exageradíssima) frase de um conhecido crítico : “Callas + Tebaldi = Caballé”.
É com Donizetti, mas também com Bellini e Rossini, que Caballé se torna um ídolo.
Torna-se fastidioso enumerar os seus êxitos.
Ouvir as suas gravações, nomeadamente todas as dos anos 60, é suficiente para considerar Caballé uma Diva.
Ei-la como Leonora, do “Il Trovatore”:

5 comentários:

Anónimo disse...

Caballé é uma das cantoras mais famosas da Arte Lírica pela sua técnica assombrosa e qualidade dramática que possui na voz. Todavia não aprecio muitos dos arranques, muitos dos seus inícios de frase demasiadamente carregados. Acabo por ceder mais facilmente a uma Victoria de Los Angeles, essa sim, uma Senhora no verdadeiro sentido do termo.

jose quintela soares disse...

Desculpará, caro anónimo

Caballé não é uma Senhora??

Tenho a certeza que é!

MCA disse...

Quando oiço essa expressão, lembro-me sempre de uma frase do filme My Fair Lady, em que a florista Elisa Doolittle compara as duas personagens masculinas do filme: o Prof. Higgins e o Coronel. Ambos tratam as mulheres todas da mesma maneira, e contudo, enquanto o Prof. Higgins trata as duquesas como floristas, o Coronel trata as floristas como duquesas. E acrescenta: o que distingue uma florista de uma duquesa é a forma como são tratadas.
Ainda estou para perceber o que é que os homens querem dizer quando dizem que uma senhora é uma Senhora... a sério: o que é isso de ser uma Senhora? é uma referência à conduta moral? À educação académica ou artística? Ao berço?
Como mulher, gostava mesmo de perceber, pois só os homens usam essa expressão.

José Quintela Soares disse...

Confesso que também fiquei a pensar nisso com o comentário do caro anónimo.
E o primeiro pensamento foi de total discordância.
Falava da maneira de cantar da Caballé, e repentinamente afirma preferir a De Los Angeles por ser uma "Senhora no verdadeiro sentido do termo".
Ora estão em comparação duas cantoras.
Não me parece que uma não seja "Senhora" por alguém gostar menos do seu modo de cantar.

Tentando responder à sua questão, falo por mim apenas quando digo que uma Senhora pode muito bem ser uma Elisa Doolittle.
Um velho amigo dizia-me sempre que "Doutores há muitos, mas há poucos Senhores!".

Vulgarmente, os homens (serão só eles?) designam por "uma Senhora" quem lhes parece distinta e bem educada.
Mas é evidente que as aparências...

Vandersmiths disse...

Caballé é uma Senhora, uma Dama, uma Rainha...
Tive o privilégio ficado ao lado dela na saída do teatro municial de São paulo, Brasil. Ainda sinto o cheiro de seu perfume!!!

Locations of visitors to this page