segunda-feira, 28 de julho de 2008

Óperas pouco ouvidas (5)



Continuador de Monteverdi, Francesco Cavalli (1602-1676) foi um dos que mantiveram a supremacia da ópera de Veneza, após o desaparecimento do Mestre.
Compôs muita música religiosa, a qual não chegou aos nossos dias, contrariamente às mais de 40 óperas de sua autoria, das quais há registo, representadas sobretudo no Teatro San Cassiano.
Diria que a única ópera de Cavalli que mereceu alguma atenção no século XX, foi “La Calisto” (Prólogo e 2 actos), estreada em 1651.
Deusas e ninfas na Grécia Antiga, rodeadas pela Natureza, o Destino e a Eternidade, numa ópera cuja espiritualidade é indiscutível, mas provavelmente também a base justificativa pela qual Cavalli é hoje praticamente ignorado, dado que as audiências preferem entretenimento mais “fácil”.
Apenas tenho conhecimento de uma gravação que junta Ileana Cotrubas e Janet Baker, feita no festival de Glyndebourne nos anos 60.
Ei-las:


2 comentários:

Rui Luís Lima disse...

Caro José Quintela Soares!
A exposição que está no Museu da Electricidade dedicada à Maria Callas é simplesmente maravilhosa, nós gostámos bastante, mas vamos voltar para vermos os filmes que lá passam sobre a maior das Divas.
Abraço cinéfilo
Paula e Rui Lima

Cassiano disse...

Não sabia que existe um teatro com um nome tão bonito! (hehehe)

Locations of visitors to this page