quinta-feira, 12 de julho de 2007

Giulio Neri


A sua vida foi muito curta (1909-1958), e a sua carreira artística durou pouco mais de vinte anos.
Mas foi seguramente um dos baixos mais importantes da sua geração, e as suas raras gravações ainda hoje são ouvidas com especial interesse.
Giulio Neri era um baixo “profondo”, daqueles que eu gosto de ouvir, no seguimento de Tancredi Pasero, e anterior à escola de Leste, nomeadamente a búlgara e a russa.
O grande barítono Tito Gobbi chegou a afirmar que o Grande Inquisidor de Neri no “Don Carlo” definia o papel.
Giulio Neri actuou principalmente na sua Itália natal, cantando em todos os principais palcos da Ópera, bem como na rádio.
Se puderem, e encontrarem, ouçam-no.
Prometo que, dentro em breve, voltarei a ele, para indicar algumas das gravações disponíveis.
Até lá, aqui o têm exactamente no Grande Inquisidor, ao lado de Cesare Siepi.

2 comentários:

Anónimo disse...

Não se esqueça de falar na famosa Aida com Caniglia, Stignani, Gigli e o Grande Gino Bechi que formou tantas vozes em Portugal,como a da cantora Elsa Saque que bebeu dessa fonte como ninguém.
Deixo aqui até a divulgação se aceitar colocar no seu Blog - Theatro Circo em Braga 21/07 Sábado às21h30 Recital de Elsa Saque e Nuno Vieira de Almeida dedicado à Canção Portuguesa ;)

jose quintela soares disse...

Caro Anónimo

Este blogue está sempre receptivo a colaborações e informações válidas e/ou oportunas.
Como foi o caso de Flagstad, em que Raul, através de mais de uma dezena de textos, nos explicou a vida da grande cantora.

Dessa Aida, não gosto de ouvir a Caniglia. Não será defeito da grande cantora, mas das gravações da época, em que as vozes de soprano mais pareciam gatos a miar.
Recordo um Rigoletto, com Bechi, Gigli e Caniglia, em que é perfeitamente insuportável ouvi-la, estragando o que seria um Rigoletto memorável.

E boa sorte para o recital de Braga, em que quase aposto se vai ouvir muito Fernando Lopes Graça.

Locations of visitors to this page